segunda-feira, 9 de novembro de 2015

Toda a BELEZA de EL PEÑOL na Colômbia

Bate e volta até El Peñol, na Antioquia, Colômbia

Chuva na saída de Medellín

Chuva

A criatividade colombiana
Saímos por volta de 9:00 da manhã de Medellín com destino a El Peñol, para um bate e volta. Chovia forte e como a estrada é bem sinuosa, Patrícia que estava ao volante, precisou ser muito cuidadosa para que não rolássemos montanha abaixo, mas ela estava acostumada a dirigir por ali e tudo deu certo.

El Peñol está distante de Medellín cerca de 69 km pela rodovia oriente. A estrada é ótima com uma paisagem interessante. Para quem não está de carro, Karla Larissa e Fred Santos do blog Compartilhe Viagens têm informações sobre como chegar de ônibus. 

Nós nos perdemos e passamos por cidadezinhas pequenas com pessoas sentadas na porta de casa assistindo a vida passar, crianças brincando nas ruas, trânsito sem lei e a criatividade colombiana. Cada vez mais eu gosto dos percursos que me levam ao meu destino.

O que mais me chamou a atenção e divertiu foi um serviço de aluguel de máquina de lavar. Soube que é bem procurada na região: por alguma razão você não pode ou não quer ter uma máquina de lavar e então aluga o aparelho pelo tempo de lavar a roupa. O sujeito chega em sua casa em uma motoca e você usa a máquina. Sensacional!

Represa onde era o antigo centro de El Peñol
A represa

A represa
O povoado de El Peñol foi fundado em 1714 e virou município em 1774. Na década de 1970 seu centro foi transferido para outro local para dar lugar à uma represa. O antigo município foi então afundado. É possível ver uma cruz na área onde ficava a igreja, em meio às águas. 

A represa é enorme e tem águas em uma tonalidade de verde esmeralda que faz um lindo contraste com a vegetação que há em volta. Neste local foi construída uma réplica do antigo município de El Peñol, como costumava ser em tempos passados.

El Peñol antigo

O antigo El Peñol

Arquitetura antiga das casas

A cara de El Peñol

Um antigo casarão

O povoado visto do alto
A face do povoado que representa o passado de El Peñol é uma graça: uma praça, uma igreja e casarões ao redor, com vista para a represa. Os casarões possuem cores fortes e balcões como olhos que observam. Em algumas casas funcionam lojinhas de artesanato, lanchonetes e botecos. Havia poucos turistas quando nós visitamos a reprodução do El Peñol antigo. Era uma sexta-feira de Setembro. 

O bar

A representação de El Peñol

O bar em detalhes

Moto chiva
Resolvemos tomar um tinto no bar que funcionava em uma das casas. Já não podia viver sem um tinto diversas vezes ao dia. O bar era gracioso com suas mesas e cadeiras rústicas de um tamanho menor do que estou acostumada e que dá uma sensação de aconchego.

Quando estávamos indo embora chegou uma família em uma moto-chiva, os moto-táxis da região que geralmente são coloridos, pintados com motivos dos cenários locais e alguns carregam propaganda no fundo. Com certeza eles completam a paisagem. 

Avistamos a pedra del Peñol

Nos aproximamos da Pedra del Peñol

A pedra com o centrinho aos seus pés
Seguimos então para a pedra del Peñol, nosso objetivo principal naquela manhã. Um monolito de 200 m de altura, com 649 degraus que nos levam a mais de 2000 m de altitude. 

No momento em que eu pus os olhos na grande pedra, eu vi uma linda mulher de cor escura, imóvel com as costas voltadas para nós, rechonchuda, vestida com um corpete sensual e um chapeuzinho charmoso absolutamente indiferente aos turistas que por ali circulavam em busca da melhor foto, da melhor vista, da lembrancinha para levar para casa como memória daquele dia. Estava ansiosa para vê-la mais de perto.

Pagamos pelo tíquete do estacionamento, estacionamos o carro e fomos almoçar.

Fachada do restaurante que almoçamos

O restaurante

Vista do restaurante

Delicioso suco de fruta da região

Bandeja Paisa

Duas bandejas paisa por favor.
A fome veio feroz e escolhemos um restaurante: sem nome visível na porta, anunciava que serviam bandeja paisa. Um salão enorme quase vazio e uma varanda com uma vista fantástica para a represa e as montanhas antioqueñas. Nos pareceu o lugar perfeito.

Duas bandejas paisa por favor! Pedi também um suco para acompanhar. Os sucos no país são divinos, feitos da fruta. Uma particularidade: suco na Colômbia pode ser com leite ou com água. Temos sempre que especificar. 

A bandeja paisa estava sensacional! Comi rezando e devo ter ganhado uns 5 quilos facilmente, mas como ia subir a Pedra del Peñol precisava de energia extra. 

Iniciando a subida

A represa se descortina para nós

Detalhes

Apreciar é preciso

A vista 

Subindo

Vale cada degrau

Espetacular
Compramos os bilhetes (COP$12000) e iniciamos a subida da pedra, pelo dorso desta mulher que gentilmente nos ofereceu suas costas para que alcançássemos o topo e desta forma tivéssemos momentos de pura admiração, assim como Rapunzel ofereceu suas tranças ao príncipe encantado para alcança-la em sua masmorra, 

Confesso que estava com muito receio. Tenho pavor de altura, paraliso e preciso de ajuda para sair do lugar. Como não gosto de nada que me limite, aos poucos vou tentando enfrentar este medo.

Para minha surpresa a subida foi bem tranquila. No início, minhas pernas tremeram, mas os degraus são largos e há uma mureta que nos protege durante a subida. Vencido o medo, apreciei o momento. 

Escalamos aquele monolito com calma, sem pressa alguma. Havia razão de sobra para esta lentidão: com a altitude e o ar seco é prudente caminhar devagar e respirar lentamente de maneira a não faltar o ar. Outra razão é que o tempo estava a nosso favor. Era cedo ainda. Por fim, aquela vista espetacular merecia olhos atentos e contemplação. 

Há plataformas ao longo do percurso, onde paramos, tiramos fotos, olhamos, olhamos e olhamos. O silêncio reinava e só era quebrado quando algum grupo passava por nós, ansioso por chegar ao topo, muitas vezes ignorando o melhor da festa: o próprio percurso.

Chegamos no topo e a vista de 360 graus é belíssima, de tirar o fôlego. Cores que se misturam. Casas inseridas em meio à vegetação. A represa formando belos recortes. Lindo! 

Vista espetacular

Sensacional
No topo há bares, lanchonetes e lojas de lembranças locais. Para chegar lá são mais alguns degraus e mais uns metros de altura. Gastamos um tempo no alto, olhando todos os lados, sonhando com tanta beleza. Acho que nunca me cansaria de olhar aquilo tudo.

No entanto, tínhamos que voltar. Patrícia e Glória nos esperavam no pé da formosa pedra del Peñol. Durante muito tempo Guatapé e El Peñol disputaram para saber a quem pertencia esta bela mulher em forma de pedra. Parece que agora ficou decidido que pertencia a Guatapé.

A descida foi tão tranquila quanto a subida e o melhor: fazemos outro caminho, que não nos permite a mesma vista da subida, mas que evita engarrafamentos nas escadas. De lá seguimos para Guatapé, história para outro post.