terça-feira, 14 de março de 2017

Uma PEQUENA porção do CENTRO do Porto, Portugal:

O que fazer no Porto, Portugal

Muito próxima ao Campo dos Mártires da Pátria encontramos a emblemática Torre dos Clérigos, estreita, singela e bonita dentro de sua simplicidade. Seu interior esconde tesouros e o maior deles é a belíssima vista que nos oferece do Porto.

Aos pés da Torre dos Clérigos, está um casario cuja fachada, pintada ou de azulejos, é responsável por dar um ar de alegria ao entorno e cria uma atmosfera um tanto quanto provinciana, que agrada aos sentidos. 

O que fazer no Porto, Portugal
Palácio da Justiça do Porto

O que fazer no Porto, Portugal
Estátua da Justiça

O que fazer no Porto, Portugal
Bela vista do Rio Douro desde a lateral do Palácio da Justiça
Na Rua do Campo dos Mártires, muito perto da antiga Cadeia de Relação, que hoje abriga o Centro Português de Fotografia, encontramos o Palácio da Justiça do Porto.

Todo em granito foi construído no século passado e possui dez pilares que apoiam a entrada. Ele é imponente como deve ser um edifício responsável pelo cumprimento (em teoria, ao menos) das leis mantendo a civilidade nas cidades. Em frente ao palácio há uma enorme estátua da Justiça.

Ao lado, existe um estacionamento de funcionários onde temos uma lindíssima vista (mais uma) do Rio Douro. A cada nova visão do rio, parecia que era a primeira: eu sempre me impressionava com sua venustidade. 

O que fazer no Porto, Portugal
Igreja de São José das Taipas

O que fazer no Porto, Portugal
Igreja de São José das Taipas

O que fazer no Porto, Portugal
Igreja de São José das Taipas

O que fazer no Porto, Portugal
Alminhas da Ponte
Ainda na Rua do Campo dos Mártires da Pátria está a Igreja de São José das Taipas, construção iniciada no século XVIII, mas só concluída no século XIX, muitos e muitos anos depois.

Por fora ela é simples, bem a cara do Porto, com aparência despretensiosa, escura, gasta, mas suavemente adornada com azulejos azuis em sua única torre. A Igreja de São José quase passa despercebida por causa dos carros estacionados em frente a ela.

Por dentro é pequena, mas orgulhosa de seus tons de cinza e branco, harmonizando com o dourado em doses modestas, se compararmos com outras igrejas católicas. Talvez sua obra mais preciosa seja um quadro que retrata o Desastre das Barcas no Cais da Ribeira (Alminhas da Ponte).

Descemos então a Rua de Antonio de Sousa Macedo em frente a Igreja São José das Taipas até a Rua de Azevedo de Albuquerque onde uma surpresa nos aguardava fazendo com que me apaixonasse pela milésima vez por Porto. Conto em breve!