sábado, 29 de abril de 2017

O CASTELO de Guimarães, Portugal:

O Castelo  de Guimarães

Considerado Patrimônio Nacional, o Castelo de Guimarães foi construído por volta da segunda metade do século X. Depois de caminharmos bastante pelo Centro Histórico da cidade, descobrindo histórias antigas e velhas lendas, foi para o vetusto castelo que nos dirigimos em seguida. 

O Castelo  de Guimarães
Na Vila de Cima a caminho do Castelo de Guimarães
No local onde hoje está situado o Museu de Alberto Sampaio, a Condessa Mumadona Dias, dama muito rica e poderosa em seu tempo, mandou edificar um mosteiro em honra de Santa Maria, cujo entorno começou a abrigar aglomerados de pessoas dando origem então à Vila de Baixo.

Para proteger essa população, assim como os monges que viviam no Mosteiro, e sofriam frequentes ataques normandos e mouros, a Condessa ordenou a construção de um castelo numa colina próxima: o Castelo de Guimarães, no local que ficou conhecido posteriormente como Vila de Cima. 

Por conta da construção dessas duas edificações tão importantes para o início do povoamento da região, a Condessa Mumadona é considerada a fundadora da cidade de Guimarães.

O Castelo  de Guimarães
O Castelo  de Guimarães
Naturalmente, o Castelo de Guimarães sofreu diversas modificações ao longo dos séculos seguintes, tornando-se mais forte e sólido e claro, com estrutura distinta do castelo original. 

O primeiro rei de Portugal, Dom Afonso Henriques, teria nascido aqui e daqui ele teria partido para a reconquista das terras que estavam em mãos dos mouros, dando início à formação desse país sensacional chamado Portugal. 

Estas duas marcas históricas, o surgimento da Vila de Baixo e de Cima e a Reconquista, colocam o Castelo de Guimarães, em minha opinião, no patamar de joias do mundo, uma vez que está abarrotado de poderosa carga histórica. Poderíamos afirmar que este castelo é o marco zero, não só da construção de Guimarães (ao lado do Mosteiro) como do nascimento de Portugal.

Não à toa eu estava muito ansiosa para ver, perceber e principalmente para estar nesse antiquíssimo castelo, que não me decepcionou, inclusive porque seu formato me encaminhou aos tão escutados contos de fada cujas histórias de castelos, príncipes, princesas, honra e justiça, além de amores eternos, povoaram a minha infância.  

Depois que perdeu sua função de defesa, lá pelo século XV, o Castelo de Guimarães passou por anos de abandono, negligência e esquecimento, até que no século XX, alçado à condição de Monumento Nacional, passou por recauchutagem, para nossa sorte e regozijo. 

O Castelo  de Guimarães
O Castelo  de Guimarães

O Castelo  de Guimarães
O Castelo  de Guimarães

O Castelo  de Guimarães
O Castelo  de Guimarães

O Castelo  de Guimarães
O Castelo  de Guimarães

O Castelo  de Guimarães
O Castelo  de Guimarães
O Castelo  de Guimarães
O Castelo  de Guimarães

O Castelo  de Guimarães
O Castelo  de Guimarães
Encontramos no Castelo de Guimarães paredes sólidas ligando suas várias torres, todo feito de pedra. Seu interior é ainda mais atraente, embora, em seu núcleo tenhamos encontrado apenas ruínas. Não só isso, contudo!

Pontes, torres e a possibilidade de caminharmos ao longo das muralhas, tornam a visita ao Castelo de Guimarães divertida e apaixonante. Passamos quase 1 hora explorando o lugar, deixando nossas imaginações correrem soltas. Pessoas entraram, pessoas saíram, enquanto nos deixávamos ficar.

Se compararmos com outros castelos pelo mundo, sem dúvida que o Castelo de Guimarães é um modelo simples, singelo, despretensioso e talvez por isso mesmo, por estar encerrado em sua modéstia, ele seja tão encantador. Acredito, inclusive, que ele encarne a essência de Portugal: forte, interessante e desprovido de luxos e excessos. 

O Castelo  de Guimarães
Face interna do Castelo  de Guimarães

O Castelo  de Guimarães
O Castelo  de Guimarães e uma de suas faces

O Castelo  de Guimarães
O Castelo  de Guimarães e a ponte de acesso ao interior

O Castelo  de Guimarães
Brincando de cavaleiro

O Castelo  de Guimarães
Guimarães desde o Castelo

O Castelo  de Guimarães
Vista do Castelo de Guimarães

O Castelo  de Guimarães
O Castelo  de Guimarães
No centro do Castelo de Guimarães encontra-se a Torre da Condessa Mumadona, quadrada, firme, encorpada. É possível entrar e lá encontramos uma mostra cronológica que fala da trajetória do castelo e de seu personagem mais ilustre: Dom Afonso Henriques.

Sobre ele, o primeiro rei de Portugal: 


...foi um homem intrépido no combate, erudito na linguagem, 
prudentíssimo nas suas acções, de inteligência esclarecida, 
de belo aspecto e formoso de rosto, de olhar encantador, 
todo católico na fé de Cristo, respeitador 
e imensamente benévolo 
e devotado. Defendeu com a sua espada Portugal inteiro.” 

A supracitada torre é uma Torre de Menagem. Surgiu em Portugal no século XII, durante a Reconquista. É a estrutura central de um castelo, reduto de poder e muitas vezes servindo de moradia é o último refúgio de defesa em um castelo.

Para completar esta visita, que tocou para mim no compasso da magia, a vista desde o Castelo de Guimarães na antiga Vila de Cima é linda! Temos uma visão 360 graus da antiga Vila de Baixo, de belos e verdejantes jardins, da Igreja de São Miguel do Castelo e do Paço dos Duques, lugares que visitamos em seguida.

Custa 2 euros para atravessar as muralhas.

Horários: aberto todos os dias das 10.00 às 18.00, sendo a última admissão às 17.30.

Encerra nos seguintes feriados: 1 de Janeiro, Domingo de Páscoa, 1º de Maio e 25 de Dezembro. Livre todo primeiro domingo do mês.

Bilhete Conjunto: Paço dos Duques + Castelo de Guimarães: 6,00€ (minha sugestão). 

Esse texto pode ser salvo no seu Pinterest:


Castelo de Guimarães